\\ INFORMAÇÃO \ notícias

Assembleia do Sinpro-Noroeste aprova acordos com o Sinepe/RS e o Sindiomas

Publicada em 21/05/2012.

A Assembleia Geral do Sinpro-Noroeste, realizada neste sábado, 19 de maio, na sede da entidade, aprovou as propostas de acordo salarial, negociada entre as comissões de Educação Básica, Ensino Superior da Fetee-Sul, bem como dos representantes dos professores de idiomas, e as respectivas comissões do Sinepe/RS/ Sindicato Patronal e do Sindiomas. As propostas aprovadas foram estas:

SINEPE/RS

Ensino Básico

A proposta garante para os professores da Educação Básica a reposição da inflação de 5,47% (INPC) a partir de março; 5% de aumento real para os pisos (3% em maio e 2% em janeiro de 2013); 1% de aumento real para toda a categoria a partir de maio e mais 0,5% para todos os professores que atuam na educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental a partir de janeiro de 2013. A proposta prevê também a redução gradativa do percentual de aprimoramento acadêmico para os professores da educação infantil e anos iniciais, com graduação (passa de 3% para 2% para os professores contratados a partir de março de 2013; 1% para os contratados a partir de março de 2014; e extinção a partir de março de 2015 para os novos professores); a possibilidade de compensar feriado-ponte; o pagamento de hora normal para os sábados trabalhados no caso de rescisão contratual; e o pagamento das despesas de deslocamento, hospedagem, alimentação e da carga horária contratada, no caso de intercâmbio ao exterior.

Ensino  Superior

A proposta contempla o reajuste salarial de 5,47% a partir de março e a integralização de 6% em maio; o reajuste de 6,5% no piso a partir de maio e a extensão do prazo limite para o pagamento dos salários ao quinto dia útil, a partir de agosto.

SINDIOMAS 2012

A proposta prevê reajuste pelo INPC (4,97%) + 3% aumento real e INPC (4,97%) + 5% aumento real nos pisos dos professores de idiomas. A data-base da categoria é 1º de abril.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

NOTÍCIA DO DIA 10 DE MAIO DE 2012

A Comissão Estadual da Fetee-Sul, que lidera as negociações da Convenção Coletiva de Trabalho 2012 no estado entre os sindicatos de professores e técnicos administrativos e o Sinepe/RS, reuniu-se na tarde desta terça-feira, 8 de maio, com a Comissão de Educação Superior do Sindicato Patronal. O encontro foi pautado desde o princípio até o último momento pela intenção do sindicato patronal em reduzir o percentual do Adicional por Tempo de Serviço (ATS), condição que foi rechaçada pelos  sindicatos de professores que estavam à mesa.

Ao final da reunião, retirado o ATS da pauta, ficou definida a proposta que contempla o reajuste salarial de 5,47% a partir de março e a integralização de 6% em maio; o reajuste de 6,5% no piso a partir de maio; e a extensão do prazo-limite para o pagamento dos salários até o quinto dia útil, a partir de agosto. A comissão patronal, sem assumir a autoria da proposta, comprometeu-se em apresentá-la à Assembleia Geral das Instituições de Ensino, marcada para o dia 15 de maio

As tratativas iniciaram em março com câmaras distintas para a Educação Básica e a Superior. Na Educação Básica já se chegou a uma proposta para acordo, aprovada pela Comissão de Negociações da Fetee-Sul: A proposta para acordo aprovada pela Comissão de Educação Básica da Fetee-Sul garante para os professores da Educação Básica a reposição da inflação de 5,47% (INPC) a partir de março; 5% de aumento real para os pisos (3% em maio e 2% em janeiro de 2013); 1% de aumento real para toda a categoria a partir de maio e mais 0,5% para todos os professores que atuam na educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental a partir de janeiro de 2013. A proposta prevê também a redução gradativa do percentual de aprimoramento acadêmico para os professores da educação infantil e anos iniciais, com graduação (passa de 3% para 2% para os professores contratados a partir de março de 2013; 1% para os contratados a partir de março de 2014; e extinção a partir de março de 2015 para os novos professores); a possibilidade de compensar feriado-ponte; o pagamento de hora normal para os sábados trabalhados no caso de rescisão contratual; e o pagamento das despesas de deslocamento, hospedagem, alimentação e da carga horária contratada, no caso de intercâmbio ao exterior.

Uma Assembleia Geral dos Professores  do Sinpro-Noroeste está convocada para o próximo dia 19 de maio, às 10 horas, com vistas à deliberação e aprovação da Convenção Coletiva de Trabalho 2012, para a Educação Básica, o Ensino Superior e o Ensino Infantil.

............................................................................................................................................................

TEXTO DO DIA 3 DE MAIO

A Comissão de Negociação da Fetee-Sul aceitou a proposta de acordo do Sinepe/RS para a Educação Básica. A aprovação, pelo Sinpro-Noroeste, deverá ocorrer na Assembleia Geral agendada para o próximo dia 9 de maio, às 14 horas, no Auditório da Sede Acadêmica da Unijuí (rua São Francisco, 501). Na comissão da Educação Superior ainda não foi definida uma proposta de consenso e a próxima reunião de negociação com entre os sindicatos de professores e técnicos administrativos com o Sindicato Patronalo deverá ocorrer no próximo dia 8 de maio, terça-feira.

Um pouco antes do início da reunião do Consórcio das Universidades Comunitárias (Comung), na sede da Unisc, em Santa Cruz do Sul, na manhã desta sexta-feira, 27, representantes dos sindicatos de professores e funcionários das instituições de ensino privado entregaram documento aos reitores solicitando que avaliem a contraproposta apresentada na última rodada de negociação. A coordenação da Campanha Salarial dos professores e funcionários técnicos administrativos das instituições de Educação Superior permaneceu em reunião aberta com caráter de vigília na sede da Associação dos Professores da Unisc (Adunisc) entre 10h e 14h. A mobilização teve o objetivo de acompanhar a reunião dos reitores das instituições comunitárias vinculadas ao Comung.

Na última reunião de negociação com a Comissão de Educação Superior do Sinepe/RS, na última terça-feira, 24, integrada majoritariamente pelos representantes do Comung, os professores apresentaram uma contraproposta para acordo, acompanhada da solicitação de que a mesma fosse analisada também na reunião do consórcio.

A contraproposta dos professores prevê:

- reajuste de 5,47% a partir de março de 2012;
- a integralização de 6% a partir de maio de 2012, completando 6,5% a partir de setembro de 2012;
- integralização de 6,5% de reajuste no piso salarial a partir de maio de 2012.
- definição do dia 7 como prazo-limite para pagamento do salário mensal.

 Educação Básica

 A proposta para acordo aprovada pela Comissão de Educação Básica da Fetee-Sul garante para os professores da Educação Básica a reposição da inflação de 5,47% (INPC) a partir de março; 5% de aumento real para os pisos (3% em maio e 2% em janeiro de 2013); 1% de aumento real para toda a categoria a partir de maio e mais 0,5% para todos os professores que atuam na educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental a partir de janeiro de 2013. A proposta prevê também a redução gradativa do percentual de aprimoramento acadêmico para os professores da educação infantil e anos iniciais, com graduação (passa de 3% para 2% para os professores contratados a partir de março de 2013; 1% para os contratados a partir de março de 2014; e extinção a partir de março de 2015 para os novos professores); a possibilidade de compensar feriado-ponte; o pagamento de hora normal para os sábados trabalhados no caso de rescisão contratual; e o pagamento das despesas de deslocamento, hospedagem, alimentação e da carga horária contratada, no caso de intercâmbio ao exterior.

...............................................................................................................................................................

NOTÍCIA DO DIA 25 DE ABRIL

A Comissão de Negociação da Convenção Coletiva de Trabalho 2012, coordenada pela Fetee-Sul, apresentou, na tarde desta terça-feira, na sétima rodada de negociação salarial com o Sinepe/RS, proposta para fechamento do Acordo. As negociações deste ano estão se dando em duas câmaras setoriais específicas: Educação Superior e Educação Básica. Em ambas, os representantes dos professores rechaçaram as propostas patronais de retirada de direitos para a obtenção de um mínimo de ganho real.

EDUCAÇÃO SUPERIOR

No início da reunião, os representantes das instituições de educação superior propuseram o reajuste de 6,5% no piso salarial e 6% nos salários a partir de maio; redução de 3% para 2,5% no adicional por tempo de serviço e a ampliação no prazo do pagamento de salário para o 5º dia útil (atualmente é no dia cinco). Os professores aceitaram o reajuste de 6,5% no piso, mas propuseram 6,5% de aumento no salário (6% em maio, integralizando 6,5% em setembro), limitação do prazo de pagamento do salário até o dia 7 de cada mês e rejeitaram a redução do adicional por tempo de serviço. 

A comissão dos professores solicitou que a proposta fosse avaliada pela reunião de reitores do Comung que será realizada na próxima sexta-feira, 27, na sede da Unisc, em Santa Cruz do Sul. A Comissão considera que a proposta não compromete as instituições e contempla minimamente a expectativa de melhoria salarial docente, motivo pelo qual aguarda um posicionamento favorável dos representantes do Sindicato Patronal. 

EDUCAÇÃO BÁSICA

A proposta de Acordo apresentada pela Comissão da Fetee-Sul ao Sinepe/RS contempla reajuste pelo INPC (5,47%) + aumento real de salário para toda a categoria, aumento dos pisos em 5% e uma política de valorização salarial dos professores que atuam na educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental. Os professores têm consciência de que a simples correção salarial pelo INPC anual não contempla suas reivindicações nem representa qualquer ganho real. Por isso,insiste no mote de negociação deste ano de que “há algo errado no ensino privado”. Afinal, se tudo vai bem, por que não aproveitar o momento favorável da economia nacional e remunerar melhor o quadro de professores e técnicos administrativos, inclusive se os índices de reajuste nas mensalidades cobradas dos alunos ficaram bem acima da inflação do período?

   Confira a pauta completa de reivindicações da Campanha Salarial 2012

...................................................................................................................................................................

NOTÍCIA DO DIA 18 DE ABRIL DE 2012

A sexta rodada de negociação salarial entre  a Fetee-Sul  e o sindicato patronal (Sinepe/RS), realizada na tarde desta terça, 17 de abril, terminou sem acordo. Novo encontro foi agendado para a próxima terça-feira, 24. A negociação salarial dos professores do ensino privado começou no início de março em câmaras setoriais: educação básica e educação superior. “Os dirigentes patronais da educação básica mantiveram hoje a proposta de aumento real de salário condicionado à redução de direitos, penalizando os professores da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental com a retirada do adicional por aprimoramento acadêmico”, explica Cecília Farias, diretora do Sinpro/RS.

Na câmara da educação superior, os dirigentes patronais apresentaram proposta de aumento real apenas nos pisos e mudança no prazo de pagamento dos salários do dia cinco para o quinto dia útil. “Esta proposta não contempla mais de 95% da categoria”, afirmou Amarildo Cenci, diretor do Sinpro/RS. “E estes ainda teriam a data de pagamento do salário estendido”. O coordenador-geral do Sinpro-Noroeste acredita ser possível ao menos se fechar um acordo que repita o ganho real de 1% alcançado no ano passado, pois às vezes não recuar já  significa avançar. Porém, a resistência do Sindicato Patronal tem sido muito grande e, ao que parece, o fechamento da Convenção Coletiva de 2012/13 ainda vai se estender por algumas semanas.

.....................................................................................................................................................................................................

NOTÍCIA DO DIA 12 DE ABRIL

A quinta rodada de negociações entre a Comissão da Fetee-Sul e Sinepe/RS, nesta terça, 10 de abril, acabou sem acordo. A Comissão não aceitou a contraproposta apresentada pelo Sindicato Patronal de aumento real de 0,53% na Educação Superior, a partir de setembro, condicionada à redução de 50% do desconto para dependestes nas mensalidades e redução dos adicionais por tempo de serviço e aprimoramento acadêmico dos novos contratos. Na Educação Básica, o Sinepe/RS propôs 1% de aumento real para todos os níveis em troca de perdas, como retirada do adicional de 3% de aprimoramento acadêmico Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental); compensação de feriados-ponte por sábados e não pagamento de sábados no caso de rescisão.

Nova reunião está agendada para a próxima terça-feira, 17, às 14h, na sede do Sinepe/RS, em Porto Alegre.

Assista o novo programa da TV CONTEE sobre o tema da campanha “Tem algo errado no ensino privado”.

......................................................................................................................................................

Notícia veiculada no dia 4 de abril de 2012

Na quarta rodada de negociações entre a Comissão Estadual, liderada pela Fetee-Sul, e o Sinepe/RS, nesta terça-feira, 3 de abril, o Sindicato Patronal iniciou o encontro ratificando a proposta inicial de reajuste dos salários pelo INPC e manutenção das cláusulas vigentes. As reuniões das câmaras setoriais do Ensino Superior e da Educação Básica, praticamente, permaneceram inalteradas em sua condição de fórum de debates, pela negativa em avançar. Nem mesmo algumas propostas já debatidas na Educação Básica prevaleceram, tendo havido praticamente um retrocesso nos debates. Os professores e funcionários consideraram o encontro frustrante e inaceitável, posto que a mesa de negociações patronal era composta majoritariamente por integrantes do Comung, mostrando-se inconformados com a indisposição em negociar os principais pontos da pauta de reivindicações dos trabalhadores. A Comissão Estadual da Federação, que reúne sindicatos de professores e técnicos administrativos, agora, vai construir uma nova proposta de acordo, possivelmente com a flexibilização do índice de 3% de aumento real, a qual será remetida no início da próxima semana ao Sindicato Patronal, para debate entre as instituições filiadas ao Sinepe/RS e posterior rodada de negociações com a Fetee-Sul, marcada para a tarde da próxima terça-feira, 10 de abril, na sede do Sinepe em Porto Alegre.

 

 

 

 

 

Sindicatos publicaram apedido denunciando contradição no ensino privado

Detalhe do Apedido publicado
Foto: 

A Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino do RS (Fetee/Sul) e os sindicatos filiados de professores e de funcionários publicaram hoje, 2 de abril, um Apedido no jornal Zero Hora (página 23 - editoria Geral),  denunciando a contradição entre o reajuste das anuidades nas instituições de educação superior do estado (Feevale, UCS, Unisinos, PUC e Univates) - em média 50% acima da inflação, e a proposta de reajuste dos salários.

“Estas são as instituições de ensino comunitárias que lideram a comissão de Educação Superior do Sinepe. Reconhecem  o bom momento da economia brasileira, admitem que aumentaram as mensalidades acima da inflação, mas afirmam que não há condições de conceder aumento real de salário aos professores e funcionário”, denunciam no Apedido.

............................................................................................................

NOTÍCIA DO DIA 28 DE MARÇO

A Comissão Estadual de Negociação da Convenção Coletiva 2012 rejeitou, nesta terça-feira, 27 de março, a proposta do Sinepe/Sindicato Patronal de redução de direitos como condição para o aumento real de salário reivindicado pelos professores e técnicos administrativos, de 3%. Os professores destacam, ainda, a necessidade de limitação do número de alunos por turma e do trabalho extraclasse, mais a preservação da saúde dos professores, mediante a melhoria das condições de trabalho. O Sinepe parece ainda não entender que o reajuste pelo INPC apenas corrige o salário pela inflação do ano, sem representar ganho nenhum. 

 A próxima rodada está agendada para o dia 3 de abril, na sede do Sinepe, em Porto Alegre.
A negociação salarial 2012 está ocorrendo em duas câmaras setoriais distintas, educação básica e superior.

O ensino privado gaúcho conta com mais de 33 mil professores e 11 mil funcionários, que atuam em 2.500 instituições.

 >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

NOTÍCIA DO DIA 21 DE MARÇO

A segunda rodada de negociação entre o Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinpro/RS) e o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino (Sinepe/RS), realizada na tarde desta terça-feira, 20 de março, foi marcada pela intenção declarada dos dirigentes patronais em flexibilizar direitos dos professores estabelecidos na Convenção Coletiva de Trabalho. A comissão de negociação do Sinepe/RS não chegou a apresentar uma proposta objetiva dos ajustes, mas sinalizou o objetivo de reduzir custos na folha de pagamento.

A reunião aconteceu em Porto Alegre, em duas câmaras setoriais distintas, educação básica e superior. Em nenhuma delas os dirigentes patronais discutiram o mérito das reivindicações dos professores, como o aumento real de salário, limite de alunos por turma e o trabalho extraclasse. Os representantes do Sinpro/RS, por sua vez, reafirmaram a expectativa de aumento real e avanços na Convenção Coletiva de Trabalho. Também destacaram mais uma vez que as reivindicações estão alicerçadas no bom desempenho das economias gaúcha e brasileira, no aumento de matrículas e no reajuste das mensalidades 50% superior à inflação.

As negociações entre o Sinpro/RS e o Sinepe/RS iniciaram no dia 13 de março. Nova rodada acontecerá na próxima terça-feira, 27.

FLEXIBILIZAÇÃO

Dentre os direitos que as instituições de educação superior querem flexibilizar estão: os adicionais por aprimoramento acadêmico e por tempo de serviço, o desconto para dependentes, as homologações de rescisões e o prazo para o pagamento de salário. Na educação básica, as instituições têm intenção de ajustar, além dos adicionais por aprimoramento acadêmico e por tempo de serviço, a isonomia salarial e o calendário escolar.

 

.................................................................................................................................................................

Notícia do dia 13 de março de 2012.

Professores reafirmam pedido de aumento real na primeira reunião de negociações com o Sinepe/RS

Na primeira rodada de negociação da Campanha Salarial 2012 com os representantes do ensino privado, realizada na tarde de 13 de março, em Porto Alegre, os professores apresentaram os indicadores da conjuntura econômica gaúcha e brasileira que fundamentam a reivindicação de aumento real de 3% e reafirmaram a expectativa de avanços na Convenção Coletiva de Trabalho 2012.

A negociação deste ano inaugurou uma nova dinâmica com a instituição de duas câmaras, uma para tratar das questões da Educação Básica e outra da Educação Superior, de formar a permitir aprofundamento do debate a partir da realidade de trabalho desenvolvido pelos docentes em cada nível. Nas duas câmaras, os professores refutaram qualquer tentativa que represente retrocesso na atual Convenção Coletiva de Trabalho.

Dentre os indicadores apresentados, o crescimento de 1,68% no número de alunos da Educação Superior e de 2,80% na Educação Básica; o crescimento de 2,7% do PIB nacional e de 5,7% no PIB do Rio Grande do Sul em 2011; e a expressiva diferença entre o reajuste das anuidades escolares e os reajustes salariais. Os dados, sistematizados pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revelam que, somente neste ano, o reajuste médio das anuidades ficou 50% acima da inflação medida pelo INPC e mais de 150% se comparado ao IGPM.

Nova rodada de negociação será realizada no dia 20, próxima terça, quando os representantes patronais se posicionarão diante da pauta de reivindicações que traz, além do aumento real, limite de alunos por turma, reajuste dos pisos, atividade extraclasse e preservação da saúde dos professores.

MOBILIZAÇÃO
Amanhã e quinta, 14 e 15, professores e funcionários farão uma intensa mobilização nas instituições de ensino em todo o Estado informando pais e estudantes sobre a campanha salarial Tem algo errado no ensino privado. A campanha salarial é conjunta e alerta para a contradição entre o crescimento do ensino privado e o baixo investimento em seus trabalhadores.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Notícia do dia 13 de março

É neste 13 de março o início das negociações com o Sinepe

Ocorre nesta terça-feira, 13 de março, a primeira reunião da negociação salarial 2012 entre a Comissão Estadual de Negociação liderada pela Fetee-Sul e o Sinepe/RS. O encontro será às 14h, na Av. Borges de Medeiros, 309, 18º andar, em Porto Alegre. Na última semana os Sindicatos acertaram a dinâmica de negociação salarial deste ano que será em duas câmaras específicas e simultâneas: Educação Básica e Educação Superior. A separação da negociação é uma reivindicação antiga do Sindicato dos Professores e tem como objetivo o aprofundamento do debate a partir da realidade de trabalho desenvolvido pelos docentes em cada nível. No último sábado, foi efetuado o Lançamento Regional da Campanha, na AFFI, dano início à defesa da pauta de reivindicações deste ano, cujos destaques, reajuste salarial, aumento real, reajuste dos pisos salariais, limite de alunos por turma, atividade extraclasse e preservação da saúde dos professores, serão defendidos no encontro de hoje.

.....................................................................................................................................

Lançamento Regional da Campanha Salarial 2012

O Sinpro-Noroeste, em ação conjunta com o Sinteep-Noroeste, promoveu o Ato de Lançamento Regional da Campanha Salarial deste ano, com o slogan "Tem algo errado no ensino privado", na Associação dos Funcionários da Fidene (AFFI), no último sábado, 10 de março, com pronunciamento dos dirigentes do Sinpro-Noroeste, professor João Afonso Frantz, e do Sinteep-Noroeste, Daniel de Oliveira, além do Coordenador-Geral da Fetee-Sule, Luiz Gambim, e do representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino - Contee -, Valdir Kinn, seguido de show com a dupla Éver e Fael. O evento foi um sucesso e marcou com entusiasmo e otimismo a caminhada dos trabalhadores para a consecução da pauta de reivindicações que, neste ano, se dará em separado entre Educação Básica e Ensino Superior, buscando, além da manutenção e correção de vários itens, o aumento real de salários, principal reivindicação da atual campanha.

...................................................................................................................................................

PARTICIPE do Ato de

Local: AFFI - Associação dos Funcionários da Fidene

Data: 10 de março de 2012

Horário: a partir das 20 horas

SHOW com Éver e Fael e distribuição de cachorro-quente com linguiça aos associados. Aos não sócios será comercializado a preço de custo. Fichas no local.

Vamos juntos reivindicar nossos direitos. O sindicato só se fortalece com a união dos trabalhadores.A Campanha deste ano tem como lema "Tem algo errado com o ensino privado - Cadê o aumento real?", que explicita a contradição entre o crescimento do ensino privado e a remuneração de professores e quadro técnico-administrativo.

Evento conjunto Sinpro-Noroeste e Sinteep-Noroeste

 

FETEE-SUL E SINEPE AGENDAM NEGOCIAÇÃO, QUE SERÁ POR NÍVEIS DE ENSINO: Básico e Superior - 1ª reunião: dia 13 de março

A Comissão de Negociação, que representa os sindicatos de professores e técnicos administrativos filiados à Fetee-Sul, agendou nesta terça-feira, dia 6 de março, com o Sinepe/Sindicato Patronal, que a dinâmica de negociação salarial deste ano se dará em duas câmaras específicas e simultâneas de debate: Educação Básica e Educação Superior. A separação é reivindicação antiga dos professores e objetiva aprofundar a discussão a partir da realidade do trabalho desenvolvido pelos docentes em cada nível.

No próximo encontro, primeira reunião de negociação de fato, dia 13 de março, serão apresentados os destaques da pauta de reivindicações, dentre as quais aumento real, reajuste dos pisos salariais, limite de alunos por turma, atividade extraclasse e saúde dos professores. Também será definida a dinâmica e estabelecido um calendário de negociação. As reuniões e debates serão realizados sempre às terças-feiras, às 14 horas, na sede do Sinepe, no Centro da Capital. O INPC de fevereiro ainda não foi divulgado, mas o percentual anual de correção salarial deverá ficar em torno de 9%. O ensino privado gaúcho conta com mais de 33 mil professores e 11 mil funcionários, que atuam em 2.500 instituições.


CAMPANHA SALARIAL NA INTERNET

A campanha salarial dos professores também pode ser acompanhada na internet. O BLOGwww.deolhonoensinoprivado.org.br é a central de conteúdos.

 

Tem algo errado no ensino privado

Em março tem início a nossa campanha por melhores salários e condições de trabalho. É importante que você esteja atento, entenda todo o processo e, é claro, participe do seu jeito.
Pela nossa experiência em negociação com o sindicato patronal, neste ano, mais uma vez, teremos uma disputa dura. Historicamente, os representantes das instituições de ensino privado tendem a resistir às demandas dos professores e funcionários técnicos administrativos, independentemente da qualidade e justiça dos nossos argumentos.
Ninguém contesta mais o fato de que o Brasil vive um bom momento. Queda no desemprego, melhor distribuição de renda e uma economia sob controle. A prova disso é que o país tem enfrentado com relativa tranquilidade os efeitos da crise na Europa e nos EUA.
O ensino privado tem desfrutado desse cenário. O aumento do número de matrículas e os reajustes das mensalidades acima da inflação são reflexos desse cenário e tem repercussão economicamente positiva para as instituições de ensino. O problema é que esse panorama favorável no Brasil e no RS não se reverte em melhoria das condições de trabalho e de salários.
A lógica dos que comandam as instituições de ensino é não investir nos professores e técnicos administrativos para reduzir custos e ampliar lucros.
Então, TEM ALGO ERRADO NO ENSINO PRIVADO, sim! Esse é o tema da Campanha Salarial 2012, onde vamos apontar para a sociedade essas contradições de um setor que cresce, mas resiste em valorizar quem trabalha. Um movimento integrado por sindicatos de professores e técnicos administrativos do país inteiro filiados à Contee – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino.

Participação dos professores e técnicos administrativos

As reuniões para negociar acontecem às terças-feiras e a primeira deverá ocorrer no dia 6/03. De um lado os sindicatos de professores e técnicos administrativos, e de outro a direção do Sinepe, que representa os interesses dos empregadores.
Os sindicatos realizaram assembleias regionais e ouviram os professores e funcionários. Com isso, elaboraram as pautas de reivindicações que levam em conta os interesses específicos de cada categoria. Você pode acompanhar o andamento e o resultado de cada encontro no site do sindicato ou pelo blog www.deolhonoensinoprivado.org.br. Ao mesmo tempo, é fundamental a sua participação nas reuniões e assembleias da campanha. Outra boa forma de mobilização é conversar com os colegas de trabalho sobre as nossas reivindicações. A lógica é manter-se informado e informar também.
Além do debate e argumentação na mesa com o Sinepe, vamos promover atividades públicas e manter a nossa inserção na mídia. Será importante contarmos com a parceria dos pais, alunos e da sociedade como um todo, mas para isso precisamos promover o entendimento sobre o que se passa no ensino privado, sobre a importância de remunerar melhor quem trabalha com a educação e a repercussão disso na qualidade de ensino.

Foco no aumento real e nas condições de trabalho

Você merece e precisa ser melhor remunerado. E isso é possível? É claro que sim! O acompanhamento que fazemos dos valores cobrados nas mensalidades aponta que as instituições de ensino elevaram os preços em cerca de 37,8% acima da inflação nos últimos anos. Enquanto isso, os salários tiveram apenas 5,8% de aumento real.
Essa distorção deve ser corrigida ao longo do tempo. No ano passado recuperamos 1% e neste ano precisamos avançar mais.

INPC + 3%

É com essa fórmula que vamos trabalhar – a reposição da inflação do último ano corrigida pelo INPC, que deve ficar em torno de 6%, somada ao índice de aumento real que foi debatido nas assembleias e fixado em 3%.
Ao mesmo tempo, questões como a limitação do trabalho extraclasse, do número de alunos por turma e melhores condições de saúde estarão na mesa de negociação.

Saiba como participar da Campanha na internet

No Blog No Blog - acompanhe as notícias e dê a sua opinião
Em deolhonoensinoprivado.org.br, você tem uma central de conteúdos. Acesse e fique por dentro de todas as notícias, dê a sua opinião, acompanhe o andamento das negociações e compartilhe os posts.
   
No Facebook - Em breve No Facebook - curta a página do Sindicato, compartilhe conteúdos e deixe seus comentários
Faça download de conteúdos para postar no seu mural e multiplique os resultados da campanha. Publique comentários, saiba quem está com a gente, participe dos debates, assista aos vídeos que serão compartilhados e acompanhe como está o andamento de todas as ações da Campanha Salarial.
   
No Twitter - Em breve No Twitter - siga o Sindicato, repasse os conteúdos e use sempre #algoerrado
Receba as informações da Campanha em tempo real e dissemine para seus seguidores. Atenção: toda vez que você retwittar um conteúdo da campanha ou gerar um novo que tenha relação com o tema, insira #algoerrado. Dessa forma, poderemos contabilizar quantas pessoas interagiram com os nossos conteúdos.


Importante: Vamos ampliar os apoios para a nossa luta. Motive a adesão de alunos, amigos, familiares e colegas de trabalho. Quanto mais compartilharmos o conteúdo, mais vamos ampliar o debate sobre o ensino privado no RS.

Links Relacionados