Avanços nas negociações com o Sinepe/RS

– Os representantes sindicais do Sinpro-Noroeste participaram, na última quinta-feira, 20, de nova rodada de negociações com o Sinepe/RS para discutir a nova CCT do ensino superior.

Houve avanços nas discussões, como o reconhecimento, por parte da entidade patronal, da necessidade de reposição salarial com base na inflação oficial do período, o que evitará perdas nos vencimentos dos professores. Com base nisso, o Sinepe fez uma proposta econômica que envolve parcelamento de valores do reajuste, o que ainda precisa ser discutido de forma mais detalhada.

Também houve avanços na discussão sobre o pagamento do 13º salário, com a possibilidade de retomada dos moldes de anos anteriores que prevê a antecipação do benefício, com pagamento da primeira parcela em agosto, e o restante ao final do ano.

Foi debatido, ainda, o deslocamento do dia do professor para o período próximo ao feriado do dia 12 de outubro.

No decorrer da próxima semana as propostas passarão a ser analisadas, com a esperança de que na próxima quinta-feira se encaminhe uma proposta de acordo com o Sinepe.

Já nas negociações com o Sindiman, a pedido da entidade patronal as reuniões foram suspensas durante a última semana, sob a alegação de que é necessário mais tempo para que os representantes dialoguem com as instituições de ensino que representam.

O próximo encontro com o Sinepe/RS está agendado para o dia 27, próxima quinta-feira.

 

Educação básica discute aumento real e aproximação de valores

– Nesta semana, a discussão em torno da nova CCT da educação básica com o Sinepe/RS girou em torno de dois temas.

O primeiro deles foi o ganho real nos salários, diante da diferença entre a inflação oficial, de 5,47%, e o aumento médio das mensalidades cobradas pelas instituições de ensino, que chega a 10%. Os representantes patronais apresentaram uma proposta para a integralização do reajuste em agosto, chegando a 6,47%. A proposição será analisada pelas representações sindicais e voltará à mesa de negociações na próxima semana.

Outro tema tratado foi a necessidade de avançar na aproximação dos valores hora-aula pagos a professores de educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental. Não houve consenso sobre o percentual desta aproximação de valores, e o acordo foi de retomar a discussão na próxima semana para o fechamento de uma proposta.

A próxima reunião de negociação está agendada para o dia 4 de maio.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *